A Noiva do Capitão -Tessa Dare

1434-20161222162941.jpgpor Mariana Guarilha 

Já não é novidade para ninguém que leia meus textos a um certo tempo que Tessa Dare tem se tornado uma das minhas autoras favoritas e que cada um dos livros anteriores da série Castles Ever After me deixou absolutamente apaixonada, e A Noiva do Capitão não fugiu a essa regra.

Cada uma das protagonistas da série está ligada somente por seu padrinho, o benfeitor que deixa como herança para estas mulheres um castelo.O primeiro fato que o faz romper com os clichês dos romances de época é que essa herança torna essas mulheres extremamente independentes, o que rompe com aquela máxima que donzelas da sociedade inglesa estão o tempo todo preocupadas em garantir seu futuro através do casamento. Tessa Dare rompe com mais clichês ao garantir que cada uma dessas mulheres tenha uma profissão: Izzy é escritora, Clio  é cervejeira e Madeleine é uma naturalista e ilustradora excepcional.

Madeleine não imaginava que uma pequena mentira fosse ditar os rumos de toda a sua vida, quando jovem ela inventou um pretendente escocês para escapar da tortura de uma temporada em Londres.Passou anos escrevendo a um inexistente Capitão Logan Mackenzie, endereçando suas cartas a uma companhia igualmente inexistente, até que pode inventar uma trágica morte ao seu correspondente e viver em paz em eterno luto sem que ninguém a pressionasse a se casar. Quando um homem em carne, osso e kilt aparece em seu castelo dizendo ser Logan Mackenzie, Maddie interpreta como um castigo dos céus pelos anos de engano.

Logan Mackenzie é um órfão que foi mandado a guerra para poupar os filhos de sangue de um pároco que ele acreditava que o adotou por bondade. Essa traição o faz romper com seu passado, e considerar os homens que comandou em batalha como sua única família. Quando esses homens voltam da guerra e encontram suas terras tomadas pelos ingleses, Logan assume como sua responsabilidade criar um novo lar para eles e para isso está disposto a se casar com Maddie para tomar posse de sua herança.

As cartas de Maddie tiveram um significado especial para o escocês, já que ele não tinha ninguém zelando por ele, porém ele sentiu-se traído quando ela parou de lhe escrever, isso explica a resistência que sente em compadecer-se da situação de Maddie, que em certos momentos é passiva e desapegada demais com as terras que lhe garantem uma existência tranquila. Confesso que fiquei mais do que um pouco ressentida com o herói, ainda que entenda que ele considere que as terras de Maddie são frutos da apropriação indiscriminada de terras escocesas pelos ingleses. Como sempre me apaixonei pela heroína já nas primeiras páginas e embora entenda as motivações de Logan , demorei um tanto para me apaixonar pelo irascível escocês e seu kilt irresistível.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s