Emma (1996)

por Mariana Guarilha

Emma-gwyneth-paltrow-310396_1000_658

p18143_p_v8_acDirigido por Douglas McGrath e com grandes nomes como Gwyneth Paltrow, Alan Cumming e Ewan McGregor, esta adaptação do texto de Jane Austen para o cinema tem momentos memoráveis.

Emma é uma jovem que acostumou-se a ocupar um lugar de destaque na comunidade, apesar de sua pouca idade. Além das responsabilidades de sua posição social também está acostumada a gerenciar a casa de seu pai, pois vive sozinha com ele. Nessas condições o casamento dificilmente seria uma imposição em sua vida, e o romance também não parecia um interesse cultivado. Pelo menos não um romance para si mesma, já que Emma gabava-se de ter conseguido um ótimo casamento para sua preceptora.

Com poucas opções a não aproveitar-se da escassa vida social, logo Emma toma sobre sua proteção a jovem Harriet Smith e desencoraja um casamento com um pequeno arrendatário convencendo-a de que vigário era uma alternativa mais acertada. Naquela época poucas profissões eram consideráveis honoráveis aos cavalheiros mais pobres, normalmente eles poderiam escolher entre a política, a igreja ou o exército. Apesar do Sr. Martin ter certo respeito como fazendeiro, ele não estava a altura de socializar com a nata da sociedade ao contrário do vigário.

maxresdefault

cummin-eltonO problema era que o vigário, Mr. Elton também tinha ambições para si e considerava a pobre Harriet que nem ao menos tinha uma linhagem comprovada inferior, e sua ambição o fez sonhar com um casamento que elevasse seu status social.

Assim como no clássico de Jane Austen, a história da Miss Fairfax e seu romance proibido ficam em segundo plano, para que assistamos atentos o incipiente romance entre Emma e seu vizinho. Tanto a história de Winston quanto a do Senhor Martin parecem mais dignas de nota do que o romance entre os protagonistas. É quase como se a própria Emma estivesse em nosso lugar quando lemos tais romances.

Confesso que Emma não é meu romance favorito de Austen, apesar de admirar a engenhosidade de deixar os pares dignos de romances de época em paralelo, enquanto foda sua história no típico casamento da sociedade. Ao contrário da maioria das pessoas com quem converso a respeito do romance, eu não sou uma grande fã de Mr. Knightley. Creio que há um componente um tanto doentio em um homem que pensa estar preparando desde sempre a vizinha adolescente para ser sua esposa.

Embora essa não seja minha adaptação preferida de Emma, tenho um grande carinho por que foi a primeira que conheci, e fez com que me interessasse o suficiente para procurar o livro que lhe deu origem.

E_1996_2633

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s