Daniel Deronda (2002)

por Mariana Guarilha70202558“Ela era o amor da minha vida. Nem sempre o amor de sua vida é a pessoa com quem você se casa, Daniel”

daniel-deronda-british-period-films-411814_410_300Daniel Deronda era filho adotivo de um nobre inglês que nunca se casou, e não faltavam rumores de que ele fosse na verdade seu filho natural.Apesar de seu temperamento brando fazer com que parecesse adaptado a vida na sociedade inglesa, sempre esteve confuso sobre qual seria seu lugar.

Quando a jovem Gwendoline atrai sua atenção eles pareciam destinados um ao outro: ela filha de um respeitável industrial de boa família, ele filho adotivo de um cavalheiro, embora não tivesse direito as suas posses, contava com um futuro promissor. Porém seu antagonista, o herdeiro de seu pai, já havia se interessado pela bela jovem.

TELEVISION DANIEL DERONDA

Gwendoline é uma jovem inteligente, porém com os negócios da família ameaçados pode contar apenas com a sua beleza para se estabelecer. Ela está ciente do poder que tem sobre os homens e está disposta a usá-lo para obter alguma vantagem, porém coloca-se em apuros quando joga com o Mr. Grandcourt. A aparente fragilidade de sua situação não dd9deixa que nos enganemos, ela está disposta a conspirar para recuperar o poder que perdeu em seu matrimônio.

Paralela a história de Gwendoline, conhecemos Mirah, uma jovem que é salva por Daniel e passa a ser protegida por ele. Judia, Mirah se sente uma estrangeira em seu país de origem e busca encontrar sua família a muito perdida. A jornada de Mirah acaba fazendo com que Daniel encare suas dúvidas a respeito de sua origem e lugar na sociedade. Ao procurar a família de Mirah, acaba sendo acolhido pela comunidade judia e se interessa pela condição deles.

O acaso tem um papel central na narrativa que só funciona por vender a noção e destino ou missão na vida. Apesar do personagem título ser Daniel, para mim a grande personagem da adaptação do romance de George Eliot é a calculista Gwendoline Harleth, interpretada por Romola Garai.

Por toda a minha vida acreditei que o mundo agia de acordo com minhas esperanças e desejos. Agora o mundo segue sem mim e minhas esperanças e desejos já não significam nada.

Anúncios

O Inferno de Gabriel -Sylvain Reynard

Baixar-Livro-O-Inferno-de-Gabriel-–-Gabriel’s-Inferno-Vol-01-–-Sylvain-Reynard-PDF-MOBI-LER-ONLINEpor Mariana Guarilha

O Inferno de Gabriel inaugura a trilogia de Sylvain Reynard que pretende contar a história da paixão de Gabriel Emerson , um especialista em Dante,por sua aluna de mestrado Julianne Mitchell. Os dois possuem um laço tênue no passado, mas se reencontram quando Julia vai estudar na Universidade de Toronto onde Gabriel é um dos mais temidos professores.

A princípio o relacionamento dos dois não é nada amistoso pois Gabriel sente-se incomodado com a jovem que parece despertar o pior dos seus humores, porém é obrigado a tratá-la com cortesia quando descobre que ela é amiga de sua irmã adotiva. Essa é só uma das muitas coincidências que parecem unir o professor e sua aluna.

Júlia é uma jovem tímida que tem um histórico familiar complicado, sua mãe era uma alcoólatra auto-destrutiva e seu pai foi no mínimo negligente durante toda a sua vida. Além disso, há um ex-namorado extremamente abusivo em seu passado que a fez se afastar de quase todos a quem amava e que poderiam protegê-la. Júlia é a típica protagonista de romances erótico-românticos: tem pouca experiência sexual, uma personalidade submissa e é extremamente insegura. Confesso que esse lugar-comum foi o que mais me incomodou durante a leitura, Júlia é uma mulher adulta e não deveria demonstrar tanta insegurança ou inexperiência.

Gabriel também tem todas as características repetidamente exploradas nesse tipo de romance: infância traumática, com um grande trauma da juventude que não lhe permite deixar que as pessoas se aproximem. Orgulhoso e muito próspero, ele está sempre presenteando a protagonista.

Apesar de ostentar todas essas características dos romances eróticos atuais, falta o erotismo cru dos mesmos. A autora parece reticente em colocar seus protagonistas para fazer sexo, a princípio sob a desculpa das regras da universidade os impedirem, e quando finalmente o faz é de maneira desapaixonada. O que Sylvain Reynard finalmente entrega é um romance erótico para quem não se sente tão a vontade com o erotismo.

grabriel

O Diário Secreto Da Senhorita Miranda Cheever – Júlia Quinn

o diario secretopor Mariana Guarilha 

O primeiro livro da série Bevelstoke conta a história de uma menina que está acostumada a pensar mal sobre sua aparência. Miranda foi criada foi um pai pouco atencioso que estava imerso demais em seus estudos para elogiar sua única filha e o fato de não se parecer com uma “rosa inglesa” trouxe pouca consideração dos demais.

Olivia Bevelstoke, sua melhor amiga, era a única pessoa que conseguia enxergar Miranda tão fantástica como realmente era. Ela tratava de incluí-la desde muito cedo na vida social de sua família e sonhava que ela se cassasse com Winston, seu irmão gêmeo. A amizade entre Olivia e Miranda é para mim o ponto alto do livro. Elas são tão diferentes como poderiam ser duas senhoritas de idade tão próxima, porém o amor que sentem uma pela outra é claro. Fico feliz quando vejo retratada a amizade sincera entre mulheres na literatura, pois sabemos o quanto a sociedade quer nos desencorajar a confiar umas nas outras.

bev1Miranda sonha secretamente com o irmão mais velho de Olívia, e esconde essa paixão pueril até mesmo da melhor amiga. Nigel Bevelstoke foi gentil e carinhoso com ela após algumas meninas a humilharem em uma festa, e lhe disse palavras que guarda com carinho em seu coração: Prometeu-lhe que um dia se veria tão bela quanto é inteligente.O encorajamento galante significou muito para a menina assustada.

Mais tarde quando Nigel  chega ferido em casa, vítima de um casamento infeliz e atormentado por se sentir aliviado com a morte da esposa infiel, o carinho e a doçura de Miranda , fazem com que ele se torne vítima da paixão arrebatadora de Nigel. Tenho grande dificuldade em perdoar a rispidez e a indelicadeza de Nigel, e cheguei a torcer, mesmo que sem esperanças, para que Miranda escolhesse o doce Winston.

Apesar de ter reprovado totalmente o herói, o livro me agradou com a independência de Miranda. Diante de uma situação irremediavelmente difícil para uma mulher da época, ela decide não depender de Nigel, nem de sua família, e busca reconstruir sua vida em outro lugar. Ainda que esse tipo de literatura não comporte que o casal termine separado, em minha mente tenho um final alternativo a partir dessa fuga, a semente de uma nova vida.

The Bevelstoke Series

Hocus Pocus -Kurt Vonnegut

db4a91dbf725c2dcea69f00dbd8777965059bcdfpor Mariana Guarilha 

A expressão Hocus Pocus que dá nome ao romance teria se derivado da declaração em latim ‘Hoc est corpus meum’ proferida na celebração católica da eucaristia , e passa a ser utilizada para se referir a situações teatralizadas de magia. Não haveria melhor expressão para dar nome ao romance de Kurt Vonnegut do que esta que já tem em si o certo humor ácido e irônico do autor.

Neste romance de história alternativa, após a Guerra do Vietnã, os Estados Unidos da América passam a ser controlados pelo capital estrangeiro, especialmente representado na história por grandes corporações japonesas que oferecem mão de obra barata e descartável para a prisão que em sua maioria abriga trabalhadores do tráfico de drogas.

Em seu cenário atípico, a cidade de Scipio, apenas um lago que torna-se uma pista de gelo todo inverno, separa a prisão de uma escola de elite para crianças com problemas de aprendizado. Nosso narrador, é a princípio um dos professores da escola que é mantida pelo capital da elite americana, mas vem a conhecer o outro lado do lago ao decorrer da história. Quando um motim leva os presos a manterem os curadores do colégio como reféns, a capacidade de Hartke de adaptar-se aos dois grupos fará com que ele sobreviva ao motim, porém a um custo extremamente alto.

Eugene Debs Hartke, nosso protagonista-narrador tem muito em comum com o autor. Assim como ele sobreviveu a uma Guerra , cultiva interesses por química e foi condecorado ao voltar. Não é possível perceber que outras similaridades há entre eles.

Hartke é um homem medíocre, acabou sendo convidado a alistar-se durante uma feira de ciências onde não havia conseguido grande destaque, ainda que tenha recebido uma ajuda de seu pai, um químico experimentado. O exército acabou sendo a única distinção que poderia oferecer para que sua família se orgulhasse. Os anos e guerra ofereceram a Hartke uma visão um tanto cínica a respeito de patriotismo e civilidade, essa visão acaba sendo compartilhada com seus alunos incapazes de aprender a física que ele fora contratado para ensinar.

Simulando um relato que teria sido escrito as pressas por um homem que não poderia ter acesso a mais do que sobras de papel, o livro não prende-se a uma linha temporal, mas as histórias são sobrepostas como nos  parênteses de alguém que expõe o que pensa oralmente. Simulando as trocas de papéis temos grandes traços negros no meio da página. Apesar desta descontinuidade causar certo estranhamento, o humor cínico de Vonnegut nos prende a narrativa.

kurt_vonnegut

Moça com Brinco de Pérola (Girl with a Pearl Earring- 2003)

Moca-com-Brinco-de-Perola-papo-de-cinema-5

por Mariana Guarilha 

trabalhandoJohannes Vermeer, pintor do século XVII vive o drama de ter alimentar sua grande família e ainda assim manter a arte em seu trabalho. Está constantemente enfrentando as cobranças de sua esposa, e até mesmo os empregados o julgam quando demora meses a entregar seus quadros aos mecenas, ainda que a família contraia dívidas até mesmo para se alimentar.

Griet é uma camponesa filha de um pintor de cerâmica que se vê cego e é obrigado a enviá-la para cidade para trabalhar como criada. Quando chega a casa de Vermeer é delegado a ela tarefas comum, como cuidar da roupa e ir ao mercado buscar carne e limpar o estúdio do mestre quando ele não estivesse pintando. Com o tempo fica claro o interesse de Griet pela pintura, o que gera alguma condescendência por parte do mesmo que com o tempo transforma-se em legítima amizade.

a-moça

pub09Vermeer passa a conversar sobre suas pinturas dom Griet e passa a delegar tarefas do estúdio como a preparação dos pigmentos.Quando um mecenas conhecido por desrespeitar uma criada que posou com ele em um quadro anterior coloca suas atenções inconvenientes em Griet, Vermeer faz um estranho trato para protegê-la, a tornando assunto de um novo quadro para seus mecenas, a ser retratada sozinha.

Para retratá-la o mestre passa cada vez mais tempo com sua criada, que por sua vez demonstra algum fascínio por ele , mas continua a viver normalmente, despertando inclusive o interesse do filho do açougueiro.

Como os dois personagens falam muito pouco, a história é contada em olhares e entrelinhas fazendo com que o filme seja extremamente sutil e delicado. O filme foi baseado no livro de Tracy Chevalier.

vermeer02

Procura-se um Mr. Thornton!

757814_Ampliadapor Ethel Duveen

A jovem Margaret Hale vive na pacata e bucólica cidade de Helstone, no Sul da Inglaterra. Seu pai é um clérigo e intelectual que ao se ver duvidando das doutrinas da igreja, resolve abandonar o sacerdócio e mudar-se com a família para a cidade industrial de Milton, no Norte.
Mr. John “Maravilhoso” Thornton é um poderoso industrial de Milton que dirige com mão de ferro sua fábrica de tecidos de algodão. Thornton mora com sua irmã, Fanny, e com sua mãe, uma viúva altiva e solitária. O orgulho que a Sra. Thornton sente do filho faz com que sua relação com ele seja quase incestuosa, para a Sra. Thornton nenhuma mulher é digna de seu precioso John.

Quando os Hale chegam a Milton, Mr. Thornton torna-se o mais ilustre pupilo do Sr. Hale. Margaret, por sua vez, fica chocada com as condições insalubres dos empregados nas fábricas do Norte e acaba fazendo amizade com o líder sindical Nicholas Higgins. O sindicato está em plena guerra contra os patrões em Milton e Thornton vê a estreita relação de Margaret com o proletariado como uma afronta pessoal a ele.
John Thornton sente uma irresistível atração por Margaret mas, devido a sua origem humilde, não se considera digno dela, que para ele é um modelo de virtude, elegância e beleza. Margaret custa a admitir que sente alguma coisa por Thornton, e quando ele se declara ela o rejeita, criando uma barreira quase intransponível entre os dois.

“ – Apenas mais uma palavra. A senhorita me olha como se pensasse que meu amor pode contaminá-la. Você não pode evitar isso. E, ainda que pudesse, não tenho como limpá-la dessa contaminação. E não faria isso, ainda que pudesse. Jamais amei qualquer mulher antes. Minha vida sempre foi muito ocupada, meus pensamentos sempre absorvidos em outras coisas. Amo e continuarei amando. Mas não tenha medo de muitas demonstrações da minha parte.”

Sabendo que não tem nenhuma chance com Margaret, Thornton passa a tratá-la com extrema frieza, mas, em segredo, continua protegendo e ajudando os Hale de todas as maneiras que consegue.
Ao longo da narrativa diversas situações levam Margaret e Thornton a travar um embate de vontades, onde o orgulho dele e a altivez dela se sobrepõem até o último momento à inegável paixão que sentem um pelo outro.
Através das perspectivas opostas desses fascinantes personagens “Norte e Sul” retrata a realidade do início da Revolução Industrial na Inglaterra do século 19, onde os operários eram considerados parte da engrenagem mecanicista das fábricas; nada além de um meio para ajudar os patrões a acumular capital.
O leitor moderno pode sentir falta do ritmo acelerado da literatura contemporânea, mas os fascinantes personagens e a temática atemporal do conflito de classes tornam esse romance um saboroso e imperdível passeio pela era vitoriana.

Em adaptação para a televisão de Norte e Sul, Mr. Thorton é vivido por Richard Armitage e Margareth Hale é interpretada por  ‎Daniela Denby-Ashe.

tumblr_mtbympRFAX1rxqag1o1_500.gif

Para sempre Cinderela (Ever After-1998)

por Mariana Guarilha Wallpaper-ever-after-32189707-1280-720

downloadO filme que foi um dos meus preferidos na adolescência, conta a história de Cinderela de uma maneira um pouco mais realista onde a fada madrinha é substituída por um personagem histórico e a magia é substituída pelo amor. Também a vilania da madrasta e sua filha mais velha é mostrada apenas como mesquinhez e falta de escrúpulos.

A história começa com uma descendente direta de Danielle de Barbarrat, a nossa Cinderela conversando com os irmãos Grimm e se dispondo a oferecer alguns detalhes, como prova de tudo aquilo que conta, ela mostra um sapatinho de vidro e conquista a atenção de seus interlocutores. Todos os elementos da história que conhecemos desde a infância estão presentes: Danielle dorme na beira da lareira, é tratada como criada pela madrasta e suas meio-irmãs , também há um baile em que o príncipe escolherá sua noiva, um sapatinho e um desencontro, porém as similaridades terminam por aí.

968full-ever-after--a-cinderella-story-screenshot

Drew Barrymore as Danielle De Barbarac in Ever After A Cinderella Story (1998).A começar pela personalidade de Danielle, ela não é apenas uma moça servil que desconhece a maldade das mulheres a sua volta, ela reconhece seu lugar de criada naquela casa  e só desafia sua posição social quando precisa salvar um velho plebeu, vítima da vilania de sua madrasta. Apesar de viver como criada e não gozar de nenhum luxo, o gosto pela leitura que foi cultivado pelo seu pai, faz com que Danielle seja culta e tenha uma vantagem diante da ignorância  das mulheres na sociedade.E apesar das intempéries que enfrentou quando o pai morreu rebaixando seu lugar na sociedade, Danielle conquistou certa liberdade com o descaso de sua “família”.

Para Sempre Cinderela - wallpaper

leodavinci1A Cinderela é apresentada a todos nós como uma jovem que sabe filosofia, consegue se defender e luta pelos mais fracos, e é isso que faz o príncipe se apaixonar, e não sua beleza como na versão Clássica. Nos primeiros encontros fica claro o quanto a jovem o desconcerta e o fascina e nada é dito sobre sua aparência, mas sobre sua personalidade.

Também Henry, o príncipe, é retratado de modo diferente: ele precisa da ajuda de sua heroína romântica para escapar a malfeitores, e também são os ideias da amada que lhe dão inspiração para ser um monarca melhor. A princípio ele demonstra defeitos claros, tendo preconceitos a respeito das classes subalternas e sendo manipulado pelos pais a realizar coisas que não gostaria.

Outro destaque, é a figura escolhida para ser o benfeitor do casal, ninguém menos que Leonardo da Vinci. O célebre personagem histórico é o responsável por dar a ideia de um grande baile para que o príncipe escolha a sua noiva e também pelo toque final no vestido de baile de Danielle: As asas da borboleta.

Durante muito anos, o vestido de Danielle no baile foi a imagem que eu guardei da Cinderella de Drew Barrymore. Outro destaque é a interpretação de Anjelica Huston,  com sua madrasta quase delicada demais para carregar tanta vilania.

breathe9

O Cavaleiro de Bronze – O Portão Dourado (Livro 1- Parte 2)

por Ethel Duveen

Contém pequenos SPOILERS do volume anterior (pequenos mesmo!)

367-663434-0-5-o-cavaleiro-de-bronze-serie-o-portao-dourado-livro-iiDurante o Cerco de Leningrado Alexander consegue tirar Tatiana e Dasha da cidade num caminhão de transporte do Exército Vermelho. Ele deixa as irmãs na pequena cidade de Molotov e volta para cumprir seu dever militar e ajudar os russos a furar o cerco alemão. As duas estão muito doentes e debilitadas pela fome, e quando as deixa, Alexander não tem certeza de que elas sobreviverão.
Seis meses se passam e Alexander não tem notícias de Tatiana. Seu comandante e amigo, o Coronel Stepanov, consegue uma licença para Alexander e ele parte em busca de sua amada. Tatiana agora vive na idílica vila de Lazarevo, com 4 senhoras que eram amigas de sua falecida avó.
O reencontro de Shura e Tatia é muito emocionante, ela está completamente recuperada e os dois não conseguem acreditar que estão juntos novamente. Em Lazarevo o casal protagoniza algumas das cenas de amor mais lindas que já tive o prazer de ler, só encontrando comparação com as cenas de Claire e Jamie Fraser, na saga Outlander. Overdose de amor e erotismo narrados com rara sutileza pela espetacular Paullina Simons.
Mas nada é fácil para nossos heróis e a licença de Shura é de apenas 30 dias, depois dos quais ele precisa retornar à Leningrado. Desesperada, Tatiana sugere que eles fujam para a Finlândia, mas ideia de desertar do Exército Vermelho era impensável para qualquer soviético: a única coisa que eles temiam mais do que enfrentar a poderosa artilharia nazista era cair nas mãos de ferro dos homens de Stalin.

Quando percebe que seus dias ao lado de Tatiana estão chegando ao fim, o desespero de Alexander o leva à beira da loucura, mas o amor e a devoção de Tatiana sempre o comovem e o trazem de volta à realidade. Alexander parte para Leningrado certo de que a morte o aguarda e obriga Tatiana a permanecer na segurança de Lazarevo.
A coragem e a lealdade de Alexander lhe rendem uma promoção a Major e uma medalha por bravura. O casal se corresponde por cartas, mas a aparente submissão de Tatiana esconde uma vontade férrea e ela acaba indo ao encontro de Shura.

“Quem vai cuidar de você se você for ferido? Quem vai enterrá-lo se você morrer? Enterrá-lo como você merece – com os reis e os heróis.
Sua,
Tatia”
“Quero que saiba que se alguma coisa me acontecer, não se preocupe com meu corpo. Minha alma não vai voltar para ele, nem para Deus. Ela vai voar direto para você, onde ela sabe que pode encontrá-la, em Lazarevo. Não quero estar nem entre reis nem entre heróis, mas com a rainha do lago Ilmen.
Alexander”

Amizades serão provadas, fidelidades questionadas e mais uma vez a força do desse amor terá que sobreviver a obstáculos quase intransponíveis, quando a única saída para a sobrevivência pode estar na distância de um oceano entre Shura e sua Tatia.

o-cavaleiro-de-bronze-o-portc3a3o-dourado

Emma (1996)

por Mariana Guarilha

Emma-gwyneth-paltrow-310396_1000_658

p18143_p_v8_acDirigido por Douglas McGrath e com grandes nomes como Gwyneth Paltrow, Alan Cumming e Ewan McGregor, esta adaptação do texto de Jane Austen para o cinema tem momentos memoráveis.

Emma é uma jovem que acostumou-se a ocupar um lugar de destaque na comunidade, apesar de sua pouca idade. Além das responsabilidades de sua posição social também está acostumada a gerenciar a casa de seu pai, pois vive sozinha com ele. Nessas condições o casamento dificilmente seria uma imposição em sua vida, e o romance também não parecia um interesse cultivado. Pelo menos não um romance para si mesma, já que Emma gabava-se de ter conseguido um ótimo casamento para sua preceptora.

Com poucas opções a não aproveitar-se da escassa vida social, logo Emma toma sobre sua proteção a jovem Harriet Smith e desencoraja um casamento com um pequeno arrendatário convencendo-a de que vigário era uma alternativa mais acertada. Naquela época poucas profissões eram consideráveis honoráveis aos cavalheiros mais pobres, normalmente eles poderiam escolher entre a política, a igreja ou o exército. Apesar do Sr. Martin ter certo respeito como fazendeiro, ele não estava a altura de socializar com a nata da sociedade ao contrário do vigário.

maxresdefault

cummin-eltonO problema era que o vigário, Mr. Elton também tinha ambições para si e considerava a pobre Harriet que nem ao menos tinha uma linhagem comprovada inferior, e sua ambição o fez sonhar com um casamento que elevasse seu status social.

Assim como no clássico de Jane Austen, a história da Miss Fairfax e seu romance proibido ficam em segundo plano, para que assistamos atentos o incipiente romance entre Emma e seu vizinho. Tanto a história de Winston quanto a do Senhor Martin parecem mais dignas de nota do que o romance entre os protagonistas. É quase como se a própria Emma estivesse em nosso lugar quando lemos tais romances.

Confesso que Emma não é meu romance favorito de Austen, apesar de admirar a engenhosidade de deixar os pares dignos de romances de época em paralelo, enquanto foda sua história no típico casamento da sociedade. Ao contrário da maioria das pessoas com quem converso a respeito do romance, eu não sou uma grande fã de Mr. Knightley. Creio que há um componente um tanto doentio em um homem que pensa estar preparando desde sempre a vizinha adolescente para ser sua esposa.

Embora essa não seja minha adaptação preferida de Emma, tenho um grande carinho por que foi a primeira que conheci, e fez com que me interessasse o suficiente para procurar o livro que lhe deu origem.

E_1996_2633

Ligeiramente Seduzidos – Mary Balogh

CAPA-Ligeiramente-Seduzidos-Livros&Fuxicospor Mariana Guarilha 

Morgan Bedwyn, a mais nova entre os irmãos da família do duque de Bewcastle sempre foi prestigiada pela posição de seu irmão. Seu temperamento mais ameno do que os demais Bedwyns também ajudava com que fosse benquista onde quer que fosse. Ela jamais poderia esperar que um homem movido pela vingança quisesse lhe fazer mal. Mesmo se tratando de alguém tão infame quanto Gervase Ashford, o Conde de Rosthorn. 

Quando Napoleão é obrigado a recuar, parte da corte inglesa acompanha o exército na cidade de BruxelasAinda que a guerra não tenha de fato acabado, o otimismo  trazido pelos últimos sucessos torna os Ingleses confiantes a ponto de assumir um pequeno risco para proporcionais os oficiais uma vida social, muitas vezes acompanhando seus próprios familiares, outras somente buscando estar presente em um momento histórico. É esse cenário o maior mérito de Ligeiramente Seduzidos. A opulência da vida social frente aos horrores da guerra e as pequenas questões e intrigas da aristocracia frente aos conflitos reais , os contrastes são trabalhados de forma muito competente por Mary Balogh.

Embora que eu tenha me deliciado com o cerco em Bruxelas e as descrições das imediações da batalha de Waterloo, foi impossível não rejeitar o casal de protagonistas. Morgan com seus rompantes filosóficos fora de hora soa um tanto pueril e cansativa e Gervase é um homem de meia-idade se apegando a picuinhas feito um adolescente. Além disso, ainda que ele se faça útil em meio ao caos, é difícil esquecer o quanto ele foi traiçoeiro na primeira metade do livro. sem contar que Morgan é uma garota então muito jovem, e as atenções lascivas de um homem tão mais velho que passa muitas páginas afirmando que só quer arruiná-la me enojam um pouco, mesmo depois quando ele passa a demonstrar sentimentos por ela.

O sumiço de Alleyne e o mistério de seu paradeiro me interessaram muito mais do que qualquer desenvolvimento do romance.A origem do desgaste entre Rosthorn e Bewcastle não me intrigou o suficiente para me importar com sua resolução. Bewcastle, como sempre, roubou a cena mostrando-se vulnerável e acessível, o que me faz perguntar como os próprios irmãos ainda não enxergaram que toda aquela frieza é só uma máscara bem frágil.

Ligeiramente Seduzidos é o quarto livro da série Bedwyn, precedido por Ligeiramente Casados, Ligeiramente Maliciosos  e Ligeiramente Escandalosos.